Chatbot como Estratégia de Growth Hacking

Chatbot como Estratégia de Growth Hacking

Chatbot como Estratégia de Growth Hacking

Certamente você já escutou falar de Growth Hacking e talvez tenha alguma dúvida sobre esse conceito. Nesse artigo explicaremos o que é essa expressão que ganhou força nos últimos anos. E claro, como o chatbot pode ser utilizado nesse tipo de estratégia.

Faça uma boa leitura!

O que é Growth Hacking

O termo foi inventado por Sean Ellis, no ano de 2010. Profissional de marketing, Sean trabalhou em diversas empresas de tecnologia, entre elas Dropbox e Eventbrite. Ele é co-autor do livro “Hacking Growth”, traduzido para mais de 15 idiomas e considerado a bíblia do Growth Hacking. Além disso, hoje é CEO e fundador do  GrowthHackers.com — o maior portal de conteúdo do mundo sobre Growth Hacking.

Sean Ellis cunhou o termo para descrever o trabalho que ele vinha realizando nas empresas. O conceito de Growth Hacking é basicamente encontrar oportunidades para o sucesso, através de estratégias específicas, sempre visando resultado rápido e crescimento.

A tradução literal para o português deixa o termo confuso, mas como o próprio Sean gosta de definir, o conceito é o marketing orientado a experimentos. É a arte de encontrar brechas e gatilhos para acelerar o crescimento, experimentar ações com base em observações inéditas sobre algum processo.

Para ser um profissional Growth Hacker a pessoa deve ter uma boa noção de processos, tecnologia e marketing, um pensamento análitico e conhecer profundamente o comportamento do público na jornada de compra.

Chatbot como Estratégia de Growth Hacking

Como Colocar o Growth Hacking em Prática?

Na teoria o Growth Hacking é muito bonito e entusiasma qualquer um. Mas você deve estar se perguntando como colocar em prática. Por onde começar? 

O Growth Hacking possui um funil de 5 etapas. É o AARRR, onde as letras da sigla representam respectivamente Aquisição, Ativação, Retenção, Receita e Indicações. É para otimizar uma dessas etapas que ações de growth hacking devem ser tomadas. Com uma análise do funil e identificando urgências, deve-se elencar as prioridades para tomada de ação.

Essas prioridades devem seguir alguns critérios, como a ação de menor complexidade, seguida pela com maior probabilidade de sucesso e a de maior impacto nos resultados do negócio. Ou seja, comece pelas ideias mais simples.

[adrotate banner=”4″]

Conversa como Isca 

E você consegue pensar numa ideia mais simples do que conversar? Um bom bate-papo? Um atendimento diferenciado para encantar o cliente? É aí que entra o chatbot. Utilizar um atendente inteligente em diversas etapas da jornada de compra é uma estratégia de Growth Hacking. 

Imagine que você é o usuário entrando numa página de artigos esportivos, navegando atrás de modelos de tênis e bolas de futebol. Sua atenção não seria chamada por um bot chamando para conversar? Ofertando as melhores dicas do dia? 

O assistente inteligente estabelece o diálogo e a partir da primeira resposta você já avançou muito mais do que se o usuário continuasse navegando solitário. É a sua empresa conversando diretamente com o cliente, trazendo as melhores informações possíveis e direcionando a compra.

O chatbot pode ser sim uma estratégia de Growth Hacking. E quanto falamos isso, três grandes vantagens são destacadas.

Primeiro a escalabilidade, afinal um chatbot que atende 1 pessoa também pode atender 3 mil. A adaptabilidade da solução também é muito boa, testes A/B podem ser feitos com facilidade no fluxo de conversação, o que facilita a experimentação em busca dos melhores resultados. Outra vantagem é o opt-in dado já no início da conversa. A partir disso diversas possibilidades de convencimento se abrem. 

_______

É isso. O chatbot enquanto estratégia para o aumento das vendas é uma solução viável e eficaz. Otimizar o atendimento e apostar na conversa pode ser a brecha que você estava procurando no seu plano de Growth Hacking. Entre em contato conosco, aqui na Aspinbots nós sabemos como assistentes virtuais inteligentes podem auxiliar no seu negócio.