Bots no mercado de mídia e conteúdo

Bots no mercado de mídia e conteúdo

O relacionamento entre as empresas e as pessoas no ambiente digital passará por uma transformação impactante nos próximos anos – no lugar de botões, aplicativos, longos cadastros e diversos menus teremos uma interface conversacional. Neste futuro bem próximo e já presente em diversas empresas brasileiras, iremos conversar com máquinas representadas pelos chatbots, que são softwares capazes de conversar com os humanos no estilo e tom da sua empresa com roteiros pré-programados e que se adaptam de acordo com as conversações através de técnicas de machine learning (aprendizado de máquina).

A tecnologia dos chatbots pode ser aplicada na sua empresa para atender solicitações padrão como: fazer assinaturas, renovar, cancelar, emitir segunda via de boleto, selecionar as notícias do dia que deseja ler entre outras funcionalidades como captar leads, tirar dúvidas sobre vendas e auxiliar no pós vendas.

O portal Mobile Time elaborou uma pesquisa mostrando o tamanho desse mercado no Brasil com dados importantes. Segundo o portal, os canais preferidos de 60 empresas que participaram da pesquisa são:

  • 47% Facebook Messenger;
  • 25% utilizam em sites;
  • 18% em outros canais como Whatsapp, Telegram e URA;
  • 10% não responderam.

No mercado de mídia, alguns jornais como New York Times e The Whasington Post já experimentaram bots de conversação. De acordo com o diretor de produto do New York Times, Andrew Phelps, os bots fazem parte de uma tendência maior de personalização na indústria do jornalismo: “No jornalismo em geral, estamos vendo um movimento em direção a uma relação muito mais pessoal entre leitores e organizações de notícias e acho que a ascensão dos bots neste momento é em parte porque eles facilitam essas interações mais pessoais”.

Já o diretor do produto do The Whashington Post, Joey Marburger disse que os bots serão úteis no engajamento com os leitores “Bots realmente não vão ser a nova grande plataforma de consumo”, explicou Marburger. “As pessoas não vão direto a um bot e começam a perguntar sobre histórias, mas a interação com eles vai ficar mais fácil, isso pode ajudar a aumentar o engajamento. Se você já está lendo uma história, um bot poderia ajudar a responder a perguntas sobre isso ou sugerir outras histórias para ler.” Outro teste que ambos jornais já fizeram algumas vezes é utilizar os bots para coberturas de grandes eventos como os Jogos Olímpicos.

[adrotate banner=”4″]

A AspinBots é uma das empresas que está no Guia de Desenvolvedores de Bots no brasil desenvolvido pelo portal Mobile Time. O futuro chegou e sua empresa não pode ficar parada.

Para conferir a pesquisa completa sobre o Mapa do Ecossistema brasileito de Bots acesse http://panoramamobiletime.com.br/ e baixe o material.

Fonte: Panorama Mobile Time – Mapa Ecossistema Brasileiro de Bots – Dezembro/2017 e portal Knight Center.